Home Blog

Tédio nos estudos: aprenda a driblar esse obstáculo.

0
Tédio nos estudos: aprenda a driblar esse obstáculo
Tédio nos estudos: aprenda a driblar esse obstáculo

Quando a rotina de estudos se torna muito repetitiva, o tédio aparece. A gente fica sem ânimo para seguir o cronograma, a produtividade cai e as distrações se tornam cada vez mais convidativas. Dá vontade de largar tudo para ficar maratonando séries, né? O problema é que, nesse ritmo, a aprovação no concurso público vira um sonho distante. Como lidar?

Tédio faz parte da rotina de estudos

Convenhamos que estudar nem sempre é uma atividade muito dinâmica. O ritual de ler apostilas, fazer anotações e resolver exercícios exige tranquilidade. Trata-se de um esforço mental que, além de exaustivo, não desperta os mesmos estímulos de uma festa ou uma partida de futebol. Ou seja: está mais para concentração que para emoção.

Quem entrou na “lida concurseira” sabe disso, mas às vezes se esquece. Portanto, vale reiterar: a preparação para as provas será, sim, um processo longo, talvez até um pouco maçante. Você não se torna o gênio do Direito Constitucional da noite para o dia. É preciso ir trabalhando aos poucos, para dar tempo de assimilar as informações e transformá-las em conhecimento.

Durante esse caminho, haverá dias melhores que outros. Somos humanos, afinal. Conflitos familiares, estresse no trabalho e a vontade de ter vida social ativa mexem com os nossos nervos. E, se tudo parece parado demais, queremos novidades e intensidade!

O que isso significa? Que o tédio – bem como a raiva, a angústia e a tristeza – faz parte do dia a dia. Você dificilmente conseguirá eliminá-lo. O que dá para fazer é controlá-lo para que o monstrinho não cresça.

Dicas para controlar o tédio e não prejudicar os estudos

Nossa primeira sugestão soa bastante pragmática: apenas siga o plano de estudos. Talvez você relute ou queira postergar uma tarefa difícil, e é aí que mora o perigo.

Por mais cansaço, aborrecimento ou impaciência que haja, basta começar. Leia a matéria, revise o conteúdo, responda as questões… Depois que se entra no ritmo, a mente “acorda” e o tédio vai embora.

Outra abordagem bastante eficaz é a gamificação. Basicamente, isso significa transformar a rotina numa espécie de jogo, deixando-a mais estimulante.

Seu objetivo final é passar no concurso, certo? Porém, antes disso, você deve aprender diversas matérias. Então, a dica é quebrar a meta de longo prazo (a aprovação) em metas menores, que possam ser cumpridas num dia ou numa semana. Sim, tal como as fases de um videogame.

Por exemplo, proponha-se a trabalhar um capítulo da apostila por dia. Sempre que terminar a atividade da vez, você ganhará uma recompensa – assistir a um episódio dum seriado, ouvir música etc. Se não finalizar a missão a tempo, nada de prêmio!  

Os pequenos incentivos ao longo da jornada alimentam nossa vontade de ir além. A gente percebe o próprio progresso. Assim, passar na prova deixa de ser um sonho distante e vira uma possibilidade concreta.

Agora, caso o desânimo persista, talvez seja hora de fortalecer sua saúde mental. Pessoas que estudam para concurso podem sofrer de transtornos de ansiedade e depressão. Portanto, não tenha vergonha de pedir ajuda profissional.

Gostou das dicas? Já teve que enfrentar o tédio durante a rotina de estudos? Deixe um comentário! E siga de olho no nosso blog para mais conteúdo sobre carreira pública. Até a próxima. 😉

Prova de múltipla escolha: truques para acertar mais.

0
Prova de múltipla escolha: truques para acertar mais
Prova de múltipla escolha: truques para acertar mais

Você já ficou em dúvida entre duas ou mais alternativas numa prova de múltipla escolha, né? Acontece bastante com quem presta concurso público. E essa cena pode se tornar um pesadelo aos candidatos, pois uma única questão errada às vezes significa a diferença entre a aprovação e a eliminação do certame.

O que fazer numa hora dessas? Marcar qualquer resposta e torcer pelo desfecho feliz? Óbvio que não! Embora a melhor estratégia continue sendo o estudo focado, existem alguns truques que aumentam suas chances de acerto. Vamos a eles.

Técnicas para acertar na prova de múltipla escolha

Importante: as dicas a seguir são genéricas, baseadas na nossa experiência em concursos anteriores. Não se trata de um manual com regras fixas, mas, sim, de tendências que podem auxiliar as pessoas indecisas. Convém estudar o histórico da banca organizadora para familiarizar-se com o estilo de prova. Enfim, a lista:

Preste atenção às respostas antagônicas. Se você encontrar duas alternativas e uma afirmar o exato oposto da outra, é bem provável que uma das duas seja a correta. As demais estarão ali apenas para fazer número.

Prefira a explicação mais fácil (e/ou mais extensa). Os organizadores do concurso público não podem deixar margem para erro. Sendo assim, a alternativa correta geralmente traz uma explicação clara, sem termos subjetivos. Na dúvida entre duas, escolha a que você compreender melhor, mesmo que o texto esteja um pouco longo.

Encontre palavras semelhantes. Existe um elemento em comum na maioria das alternativas? Então essa informação provavelmente faz parte da resposta certa. Use o truque para eliminar as outras opções.

Fuja das generalizações. Uma afirmação do tipo “todas as alternativas são verdadeiras” ou “todas as alternativas são falsas” costuma confundir o candidato. Essa é a intenção! Na maior parte das vezes, não passa de uma pegadinha da banca. Melhor investir nas explicações mais detalhadas.

Tenha cuidado com a intensidade dos termos. Palavras como “sempre”, “todos”, “nunca” e “ninguém” são taxativas demais. Elas podem estar associadas a uma resposta falsa. Afinal, quem estuda legislação a fundo sabe muito bem que há nuances para várias regras.

Preparação para concurso vai além da múltipla escolha

E quando tudo mais falhar, o que resta? O chute. Alguns concursos públicos descontam pontos de quem deixa questões em branco. Portanto, se você não fizer a menor ideia de qual seja a resposta correta, vale a pena marcar qualquer uma. Numa prova de múltipla escolha com cinco alternativas, há uma chance de 20% de acerto.

Convenhamos que tal estratégia parece pouco promissora, né? Aliás, como você pôde perceber, os macetes que ensinamos no post de hoje não fazem milagre. Mesmo com alguns truques na manga, ainda é necessário ter o domínio do conteúdo.

A preparação para provas objetivas envolve, primeiro, o estudo da matéria. Também é bom resolver questões de concursos passados, uma forma de testar tanto o conhecimento quanto o equilíbrio emocional. Além disso, os simulados são ótimos para calcular o tempo gasto com cada pergunta. (Quer saber mais? Acesse o link e continue a leitura!)

Esperamos que nossas dicas tenham sido úteis. Continue de olho no blog do Andresan para mais novidades sobre preparação para concurso público. Até a próxima!

É possível aprender mais rápido! Veja como

0
É possível aprender mais rápido! Veja como
É possível aprender mais rápido! Veja como

A preparação para concurso público pode assustar alguns candidatos. Às vezes, parece que há conteúdo demais a assimilar em pouco tempo. Será que existe uma maneira de acelerar o processo?

Bem, aprendizagem não é receita de bolo. Cada indivíduo tem um jeito próprio de lidar com a situação. Mas há dicas, sim, que podemos dar para você melhorar o ritmo dos estudos. Com dedicação e um pouco de organização, sua produtividade vai aumentar! Acompanhe.

Aprender a aprender é primeiro passo para a produtividade

Em primeiro lugar, procure entender como você aprende. Existem diversas formas de aproximar-se de uma mesma matéria.

Lembre-se de sua vida escolar: as explicações da professora eram suficientes? Ou você precisava ler e reler as anotações para ir bem na prova? Isso pode dar uma pista de qual caminho seguir.

Se esse exercício não funcionar, experimente diferentes técnicas. Assista a aulas on-line. Leia apostilas na biblioteca, no ônibus ou em casa. Use truques de memorização. Com o tempo, você vai perceber quais métodos funcionam melhor.

Algumas pessoas são mais visuais: precisam montar mapas e esquemas para reter a informação. Outras preferem ouvir a fala de um professor. Tem quem não se incomode com barulho e quem necessite de silêncio total para se concentrar. Pode ser, ainda, que a chave para o sucesso esteja na mistura de todos esses elementos!

Organização ajuda a acelerar o ritmo dos estudos

O trabalho de autoconhecimento talvez seja demorado, de fato. No entanto, ele é essencial para você investir em métodos de estudo que realmente tragam resultado.

Depois vem a parte relativamente fácil. É hora de organizar a rotina. Planeje uma tabela de horários para ler as apostilas, assistir às videoaulas ou o que mais for necessário na sua preparação para concurso. Não se esqueça de dedicar períodos da semana à revisão do conteúdo, ou mesmo para resolver questões de exames passados.

O importante é seguir o cronograma à risca. Vai dar vontade de procrastinar, especialmente quando você encarar as matérias mais difíceis. Resista à tentação! Qualquer fuga do planejamento pode abalar o ritmo dos estudos.

Dicas finais para aprender mais rápido

Por fim, aqui vão algumas dicas extras para os estudos renderem mais. Aproveite!

– Faça as pazes com o relógio. O tempo pode ser seu amigo, desde que você saiba usá-lo da maneira adequada.

– Descanse. Aquela história de que quem dorme menos produz mais é papo furado. Chega um ponto no qual o corpo precisa recarregar as energias. Boas noites de sono serão indispensáveis para você reter o conhecimento, pois influenciam na disposição, no foco e na memória.

– Evite estimulantes. Cafeína em excesso pode ser prejudicial. Usar drogas como Ritalina, então, nem pensar: são perigosíssimas (tá tudo explicadinho no link ao lado).

– Ensine. Converse com um amigo sobre tudo o que você já aprendeu. Essa aula informal vale como um teste das próprias habilidades.

– Vá com calma. A preparação para concurso público é feita de etapas, da mesma maneira que uma maratona se faz um passo de cada vez. Seu grande objetivo, que é a aprovação, deve ser quebrado em metas menores, como finalizar a apostila em uma semana. Isso aumenta seu senso de progresso.

Esperamos que nossas dicas para você aprender mais rapidamente sejam úteis. Aproveite que chegou até aqui e acesse os links ao longo do artigo de hoje! Eles trarão outras informações relevantes. 😉

Estude à noite sem pegar no sono

0
Estude à noite sem pegar no sono
Estude à noite sem pegar no sono

Trabalhar dois turnos, voltar para casa e ter que estudar à noite é a realidade de muitos concurseiros. Sobram tempo curto e bastante cansaço. Nesse cenário, aprender matérias complicadas sem pegar no sono se torna o grande desafio.

Como enfrentá-lo? As dicas a seguir podem ajudar você. Aproveite!

Organize-se para estudar à noite

O segredo de toda preparação para concurso público está na disciplina. Antes de encarar as apostilas, monte um cronograma de atividades. Tanto faz se você tem uma, duas ou cinco horas para estudar. O importante é respeitar os horários e seguir essa rotina diariamente. Assim, cria-se o hábito e a produtividade aumenta.

Claro que o tempo escasso pode dificultar o progresso. Você vai avançar aos poucos, principalmente se gastar energia com tarefas desnecessárias. Sendo assim, a dica é otimizar os afazeres.

Por exemplo, que tal tirar o domingo para organizar seu material? Separe as apostilas, os cadernos e as canetas que serão usados a cada dia. Dessa forma, quando você chegar do trabalho, já terá tudo pronto para a noite de estudos. É só fechar a porta do quarto/escritório e começar.

Quem utiliza transporte público também tem a vantagem de ler no ônibus ou no metrô, a caminho de casa. Pode não ser o ambiente mais propício para assimilar o conteúdo, mas ao menos dá para ir se familiarizando com os assuntos recorrentes.

Outra estratégia para fazer a noite render é elaborar resumos das matérias. Sínteses escritas, flash cards e mapas mentais são técnicas interessantes para revisar cada tópico sem ter que reler todas as anotações. Método ágil para reter o conhecimento, hein?

Dicas para estudar sem cair no sono

Agora vamos à grande questão que ronda o estudo noturno: o sono. Não adianta lutar contra ele, pois o descanso é um elemento indispensável para o saber.

Expliquemos melhor. Enquanto dormimos, recuperamos a energia e fazemos a manutenção da memória. Portanto, sem uma noite de sono adequada, a tendência é que você perca o foco, não consiga acompanhar o ritmo das atividades e aprenda menos nos dias seguintes.

Sendo assim, nada de virar madrugadas estudando para concurso, ok? O ideal é que você estabeleça um horário-limite – digamos, 23h. Depois disso, será momento de fechar os livros, tomar um banho morno e enfiar-se embaixo das cobertas.

Tá, mas e se o cansaço bater cedo demais? Então seu esquema de estudos terá que sofrer alguns ajustes:

Faça intervalos. Inspirando-se na técnica Pomodoro, intercale períodos de atividade focada com uns minutinhos de descanso. Passar mais de uma hora seguida em frente aos livros tende a baixar a produtividade.

Mantenha o ambiente iluminado. As luzes fortes inibem a produção de melatonina, hormônio que regula o sono.

Tome café, mas com parcimônia. Uma xícara no início da noite talvez lhe dê um gás extra para estudar. Porém, lembre-se de que substâncias estimulantes não combinam com a madrugada. Excesso de cafeína no organismo pode causar insônia.

Esperamos que o artigo de hoje tenha sido útil para orientar você na missão de estudar à noite. Reparou nos links ao longo do texto? Eles levam a outros posts com mais informações relevantes. Continue a explorar nosso blog e saiba tudo sobre preparação para concurso público!

Como equilibrar estudo e lazer no dia a dia?

0
Como equilibrar estudo e lazer no dia a dia?
Como equilibrar estudo e lazer no dia a dia?

Você encara as apostilas e só consegue pensar em terminar a lição para assistir a uma série. Depois, já em frente à TV, sente culpa porque deveria estar lendo sobre Direito Constitucional. Equilibrar estudo e lazer pode ser uma missão árdua, não só pelo tempo limitado, como pelas diferentes emoções que nos acometem durante o processo.

Hoje vamos dar dicas de como conciliar tantas demandas na sua agenda. Acredite: é possível se preparar para concurso público sem abrir mão da diversão.

Cronograma de atividades: ajustando estudo e lazer

Você só tem 24 horas no dia, então saiba aproveitá-las ao máximo. O bom e velho quadro de horários será seu melhor companheiro.

Liste todas as atividades que fazem parte de sua rotina, a começar pelo tempo de sono. Sim, você precisará dele para reter melhor o conhecimento.

O planejamento da semana também deve incluir a prática de exercícios físicos. Um corpo saudável garante mais disposição para os estudos.

Os horários que sobrarem talvez envolvam trabalho e tarefas domésticas. Aí, finalmente, sobra espaço à preparação para o concurso.

Nota-se que não se trata de um período tão longo assim, né? Por isso, recorra a métodos para otimizar o tempo e potencializar os resultados do estudo, sobre os quais já falamos aqui no blog. Acesse os links para conferir os detalhes. 😉

Uma boa dica para manter o ritmo é recorrer à técnica Pomodoro. Ela consiste em montar blocos de atividade focada (20 ou 30 minutos) com pequenos intervalos entre eles. Nessas folguinhas, dá para fazer um lanche ou conferir mensagens nas redes sociais.

Mas o breve descanso não constitui um momento de LAZER, certo? Portanto, reserve o fim do dia para o seu deleite pessoal. Use pelo menos meia hora para ver TV, ler literatura ou praticar um hobby. O ócio funcionará como uma recompensa pelo esforço.

Saúde emocional para equilibrar lazer e estudos

Organizar a agenda vai eximir você da sensação de que deveria estar fazendo outra coisa. Se é hora de estudar, estude. Se é hora de descanso, relaxe. Planejando bem, tem quem consiga inclusive manter a vida social durante a preparação para concurso.

Só que, infelizmente, algumas emoções são difíceis de controlar. Pode bater a ansiedade, por exemplo. Então não tem quadro de horários que dê jeito: sua produtividade cai e o cronograma fica todo embaralhado.

Frente à aflição e à angústia por eventos que ainda nem aconteceram, há o desafio de aproveitar o presente. Ou seja: você precisa cuidar de sua saúde mental.

Treinamentos de meditação e mindfulness podem contribuir para uma mente mais despreocupada. O mesmo vale para a atividade física e os hobbies, citados anteriormente.

Agora, se você sentir que não está conciliando as demandas como deveria, talvez seja melhor parar e reavaliar as suas prioridades. A carreira pública é a opção certa para o seu futuro? O sacrifício de agora compensa a vitória de amanhã?

Se as respostas forem positivas, respire fundo, reorganize a agenda e bola pra frente! A rotina de concurseiro é superar um obstáculo de cada vez até a aprovação.

Esperamos que o conteúdo de hoje ajude você a equilibrar estudo e lazer. Precisando de mais orientações, acesse os links ao longo do artigo. Eles remetem a outros posts que também podem ser úteis. Boa leitura!

Os 10 maiores inimigos do concurseiro

0
Os 10 maiores inimigos do concurseiro
Os 10 maiores inimigos do concurseiro

Quem se prepara para concurso público enfrenta muitos desafios. A rotina de estudos pode ser cansativa, principalmente se você não tem uma preparação adequada. Por isso, é importante evitar alguns perigos, o que tornará sua jornada bem mais produtiva.

10 desafios que todo concurseiro deve enfrentar

A seguir, listamos dez ameaças ao bem-estar do concurseiro. Incluímos links para posts que aprofundam o assunto de cada item. Assim, além de identificar os problemas, você consegue ir atrás da solução. Confira!

  1. Falta de objetivo

“Quero fazer concurso” não é a maior das motivações. Você deve entender por que escolheu esse caminho e qual carreira tem mais a ver com sua personalidade. Isso ajuda a definir um plano de estudos focado em objetivos específicos.

  1. Rotina desregrada

Ainda falando em planejamento, lembre-se de adequar as leituras e os exercícios à sua realidade pessoal. Quem trabalha fora ou cursa faculdade tem pouco tempo, mas também pode tentar o serviço público. Basta organizar os horários direitinho.

  1. Ansiedade

A quantidade de matérias assustou você? Acha que não vai dar conta de tanto conteúdo dentro do prazo? Ou é justamente a espera pelo dia da prova que causa angústia? Seja como for, procure relaxar.

  1. Ambiente inadequado

Estudar em casa pode ser difícil, especialmente se houver barulho ao redor ou se você passar muitas horas numa posição desconfortável. As distrações físicas atrapalham o desempenho mental. Portanto, reserve um lugar próprio para os estudos.

  1. Sono ruim

A má qualidade do sono é outra inimiga dos concurseiros. Uma noite em claro dificulta a memorização e, por consequência, a retenção do novo conhecimento. Relaxar o corpo e a cabeça faz parte do processo de quem sonha com a aprovação no certame.

  1. Má alimentação

A dieta cumpre um papel fundamental no aprendizado. Pode acreditar! Alimentos gordurosos, com muito açúcar ou muita cafeína estão relacionados ao baixo rendimento. Sendo assim, controlar o que você come é tão necessário quanto organizar o cronograma de estudos.

  1. Sedentarismo

Já a atividade física colabora na oxigenação das células, inclusive as do cérebro. As consequências são pensamento mais ágil, melhora nos reflexos e redução do estresse. Ou seja: sua agenda deve prever um tempo diário para caminhada, corrida ou outro treino aeróbico.

  1. Drogas estimulantes

Existe um mito de que medicamentos como a Ritalina são benéficos para o desempenho nos estudos. Errado! A droga pode causar paranoia e crises de pânico – e a venda sem prescrição médica é ilegal.

  1. Desmotivação

Depois de tantos meses preparando-se para um concurso público, é natural perder o ânimo, ainda mais se você não passa nas primeiras tentativas. Bem, ninguém disse que seria fácil, né? O jeito é erguer a cabeça e continuar a luta.

  1. Redes sociais

Aqueles cinco minutinhos para conferir o Instagram podem se transformar em meia hora de estudos perdida! Nada suga mais nossa atenção que as redes sociais. Mesmo assim, há um lado bom nessa tecnologia. Aprenda a usá-la com sabedoria. 😉

Pois então, quantos desses problemas ameaçam sua produtividade? Conhece outro inimigo de concurseiro que valha a pena mencionar? Deixe um comentário! Sua opinião nos ajuda a elaborar pautas cada vez mais úteis aos leitores.

E não se esqueça: toda semana, o blog do Andresan traz novidades para quem quer passar em concurso público. Até a próxima!

Prova de digitação em concurso: saiba como se preparar

0
Prova de digitação em concurso: saiba como se preparar
Prova de digitação em concurso: saiba como se preparar

Alguns concursos públicos aplicam prova de digitação aos candidatos. Essa é uma etapa eliminatória na qual são testadas as habilidades para transcrição de documentos oficiais. Se você vai prestar um certame dessa natureza, precisa de agilidade nos dedos, atenção aos detalhes e bastante foco para atingir um bom resultado. Continue conosco e confira dicas de como se preparar.

Como treinar para prova prática de digitação

O exame de digitação consiste na transcrição de um texto. É preciso copiar as palavras tal como elas aparecer no documento, sem erros de grafia, acentuação ou pontuação. E, claro, você deverá fazer isso dentro de um prazo determinado.

Parece difícil? Então aqui vão algumas orientações para lhe ajudar no treinamento.

  1. Cronometre a digitação

Um dos principais quesitos para a aprovação nessa etapa do certame é a velocidade da digitação. O ideal seria atingir um ritmo de 100 toques por minuto, pelo menos. Isso significa entregar 1.000 caracteres em dez minutos. Trabalho acelerado, hein?

Quanto mais ágeis os seus dedos, melhor. Ou seja, por enquanto não há muito mistério: o segredo é praticar até você vencer a corrida contra o relógio.

Importante: verifique, no edital do concurso, se há informações sobre o tamanho do texto a ser transcrito e o tempo disponível para a atividade. Também vale buscar provas anteriores para ter uma ideia do desafio.

  1. Preste atenção aos detalhes

A reprodução do material apresentado pela banca deverá ser fiel, tanto no conteúdo quanto na forma. Cada letra maiúscula, vírgula ou travessão precisam aparecer no produto final.

Portanto, lembre-se de que agilidade não é nada sem qualidade. Treine para corrigir os erros na hora. Trocou o b pelo v? Esbarrou numa tecla e saiu “estyá” em vez de “está”? Apague a palavra incorreta e corrija o equívoco antes de seguir adiante.

Se você aguardar para revisar o texto depois de escrever tudo, pode faltar tempo de prova. Algumas bancas inclusive descontam pontos por essa “produção extra”.

Ah, não se esqueça da formatação. Negritos, itálicos e paragrafações também são avaliados. Insira-os no texto conforme eles surgirem no documento original.

  1. Pratique exercícios laborais

O treinamento para a prova de digitação vai exigir bastante das suas articulações. Cuidado! Punhos e dedos podem sofrer Lesão por Esforço Repetitivo (LER). Outro problema é a tendinite, uma inflamação dos tendões que causa bastante incômodo.

Os exercícios laborais são uma estratégia para evitar dores. Lembre-se de alongar as mãos antes e depois de estudar. Se necessário, peça auxílio de fisioterapeuta ou profissional de Educação Física para seguir um programa específico.

Algumas pessoas chegam a utilizar órtese (munhequeira) na tentativa de manter a ergonomia. Essa medida contribui para praticar digitação sem comprometer a saúde, mas também é sinal de que o esforço pode estar além da capacidade de seu corpo. Na dúvida, converse com um profissional.

Esperamos que as dicas de hoje sejam úteis na sua preparação para a prova de digitação. Se você gostou do conteúdo, continue de olho em nosso blog! Em breve, traremos mais informações sobre concurso público. Até lá!

O que é a prova de títulos do concurso público

0
Como equilibrar estudo e lazer no dia a dia?
Como equilibrar estudo e lazer no dia a dia?

Os concursos mais disputados do Brasil não assustam apenas pela concorrência. Além da alta procura dos candidatos, há uma série de etapas até a aprovação. Uma delas é a prova de títulos, de caráter classificatório. Continue conosco e veja como funciona essa fase dos certames.

Como funciona a prova de títulos dos concursos públicos?

A prova de títulos, também chamada de análise curricular, serve como uma espécie de triagem dos participantes. A ideia é verificar quem tem mais qualificações para ocupar o cargo.

Os títulos nada mais são que os diplomas e certificados obtidos pelo indivíduo. Vale graduação, pós-graduação (MBA, mestrado…) e outros cursos de formação continuada, desde que tenham relação direta com a vaga em disputa.

Essa documentação obedece a uma tabela de pontos. Por exemplo, um diploma de mestrado na área pode valer dois pontos. MBA vale um ponto e assim por diante.

O edital apresenta a relação de títulos válidos e determina qual será a pontuação máxima obtida na avaliação curricular. Mais adiante, esse número será somado à nota da prova objetiva, melhorando a classificação geral do candidato.

Prova de títulos elimina candidatos do concurso?

Não. A prova de títulos tem caráter classificatório. Ela existe apenas como um filtro a mais para apontar os aprovados no certame. Quem pontua sobe no ranking, mas quem não pontua não recebe descontos ou punições.

Vale lembrar que a primeira etapa de um concurso público é, sempre, a prova objetiva. Os candidatos que passam por essa fase seguem às próximas avaliações, podendo ser teste de aptidão física, investigação social, entre outras.

Os procedimentos variam de acordo com a natureza do órgão público. Ou seja, nem todo concurso tem prova de títulos.

Ainda assim, caso essa etapa exista, acalme-se. Se você obtiver uma nota muito alta na fase objetiva, conseguirá uma boa classificação, mesmo que não acumule a pontuação máxima na avaliação curricular.

O desafio maior está nos certames acirrados, cujos participantes disputam em pé de igualmente. Devido à qualidade equilibrada dos candidatos, muita gente fica próxima da nota máxima. Assim, qualquer pontinho a mais pesa bastante no final.

Nessa situação, a prova de títulos pode significar a diferença entre a aprovação imediata e o cadastro de reserva.

Vale a pena disputar concurso com análise curricular?

A resposta depende de seu objetivo na carreira de servidor. Você quer apenas a estabilidade, independentemente do cargo? Ou almeja uma posição mais alta na hierarquia?

Quem está no segundo grupo provavelmente busca uma vaga específica, então deve se preparar ao máximo para conquistá-la. Quando falamos de oportunidades para nível superior, isso geralmente inclui a qualificação contínua, indo além da graduação.

Matricular-se num MBA ou num curso livre é uma forma de obter mais conhecimento. Você aumenta as chances de se dar bem não só no serviço público, mas em qualquer caminho profissional que escolher. E, claro, acaba obtendo títulos que vão lhe deixar à frente da concorrência numa eventual disputa.

Esperamos que o conteúdo de hoje tenha sido útil. Continue de olho em nosso blog e veja mais informações sobre preparação para concurso público. Até a próxima!

Benefícios da resolução de questões para fixar conteúdo

0
Benefícios da resolução de questões para fixar conteúdo

Como é sua rotina de estudos para concurso público? Você lê as apostilas? Assiste a aulas on-line? Essas etapas são importantes, mas precisam do auxílio de exercícios de fixação do conteúdo. Só assim a gente aprende de verdade.

Uma ótima maneira de se atingir bons resultados na preparação para o certame é com a resolução de questões de provas anteriores. Hoje vamos ensinar os macetes dessa técnica. Fique conosco!

Por que a resolução de questões dá certo

Em primeiro lugar, resolver questões passadas ajuda você a conhecer o perfil da banca. Dá para entender o grau de detalhamento das perguntas, se elas são muito conteudistas ou se os avaliadores priorizam a aplicação da teoria.

Essa também é uma forma de elevar as chances de acerto. Isso porque, quando você se familiariza com o estilo do concurso, acaba descobrindo quais são os temas mais recorrentes. Aí, na hora do certame oficial, é bem provável que a matéria cobrada já esteja “firme” na sua cabeça. Às vezes acontece até de uma mesma questão antiga se repetir em provas novas!

Para completar, a resolução de questões serve para avaliar o seu desempenho. Comparando erros e acertos, você consegue direcionar melhor o seu plano de estudos, dedicando tempo extra aos tópicos mais difíceis.

Quantos exercícios resolver por dia?

O segredo não está tanto no número de perguntas que você responde, mas em como fazer isso. Por exemplo, existem cursos e até vídeos na internet especializados na resolução de questões de prova. Acompanhar as aulas é uma forma de familiarizar-se com a matéria, mas esse tipo de estudo passivo talvez não seja tão bom para fixar conteúdo.

Em paralelo às atividades de classe, é necessário agir com as próprias mãos. Isso significa realizar os exercícios sozinho, sem ajuda de terceiros.

Tente resolver o máximo de questões que conseguir. Pode começar devagarinho, com meia dúzia de tarefas.

Uma dica para potencializar os estudos é estipular metas: se a prova tem 80 questões, responda 16 por dia, sempre conferindo os resultados e verificando seus erros. Ao fim da semana, você terá trabalhado no certame inteiro!

Conforme o calendário avance, eleve sua meta progressivamente. Esse será um treino importante para você ganhar agilidade mental e gastar menos tempo com cada enunciado.

Resolução de questões guiada por quem entende

Como visto, a resolução de questões dos concursos anteriores pode ser uma excelente ferramenta de estudo. Porém, o que fazer quando o índice de erros continua alto demais? Não dá para chutar alternativas até gabaritar a prova, né?

Mais que identificar falhas, você deve compreender o conteúdo. É para isso que existem os cursos do professor Andresan.

Estamos com pré-inscrições abertas no Extensivo de Resolução de Questões para a banca do Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo (IBADE). Essa entidade organiza certames para o IBGE, bem como órgãos municipais e estaduais em todo o Brasil.

No curso, você vai aprender a reconhecer o estilo da banca, além de ampliar seu conhecimento de uma maneira estratégica e prazerosa. Acesse o formulário e garanta sua pré-inscrição. É grátis. 😉

Ah, e continue de olho em nosso blog. Toda semana, trazemos novidades para quem quer ingressar no serviço público. Até a próxima!

Exercícios laborais para você fazer em casa

0
Exercícios laborais para você fazer em casa

Se você acompanha nosso blog com frequência, sabe que a atividade física é um componente importante da preparação para concurso. E não estamos nos referindo apenas às provas que exigem TAF. Todo mundo se beneficia da prática, nem que seja com alguns exercícios laborais feitos em casa.

O que é ginástica laboral e por que concurseiros devem fazer

A ginástica laboral, ou ginástica ocupacional, é bastante conhecida em empresas. Ela consiste num treino para corrigir a postura, evitar a fadiga muscular e combater a tensão durante o trabalho. São alongamentos e outros movimentos simples, que podem ser executados em qualquer ambiente.

Você, enquanto estudante, provavelmente passa muitas horas do dia em posições desconfortáveis – seja lendo as apostilas, seja escrevendo redações. Ao fim da jornada, o corpo pode ficar cansado, rígido e dolorido. A tendência é que os problemas se agravem no longo prazo, causando dores crônicas e até lesões.

Bem sabemos que a produtividade está ligada ao condicionamento físico. Portanto, se o corpo não vai bem, o rendimento nos estudos cai. É por esse motivo que você deve reservar uns minutinhos diários para os exercícios laborais.

Exercícios laborais para ajudar nos estudos

Abaixo, listamos alguns dos alongamentos mais comuns. Nossa dica é que você realize o treino após o expediente de estudos, ou mesmo no intervalo entre uma leitura e outra. Isso ajuda a aliviar o estresse.

Lembre-se de que estes exercícios laborais são apenas sugestões. Caso o desconforto persista, procure auxílio profissional de fisioterapeuta.

  1. Preparação

Fique de pé, mantendo as costas eretas e os ombros alinhados. Se necessário, afaste um pouco os pés para aumentar o equilíbrio.

Inspire profundamente. Depois, solte o ar aos poucos. Repita o procedimento pelo menos cinco vezes.

  1. Alongamento de braço

Entrelace os dedos das mãos em frente à sua barriga. Erga os braços acima da cabeça, esticando-os ao máximo. Mantenha a posição por 20 segundos.

Em seguida, ponha as mãos para trás das costas. Cruze-as novamente e estique os braços em direção ao chão. Mantenha a posição por 20 segundos.

  1. Alongamento para as mãos

Estique os braços para a frente e deixe as mãos para cima, como se fizesse um sinal de “pare”. Com calma, movimente os punhos para levar os dedos para baixo e para cima, sempre deixando os braços retos. Repita 15 vezes.

  1. Elevação de pernas

Fique na ponta dos pés por cerca de 15 segundos e retorne à posição inicial. Repita o movimento cinco vezes.

  1. Rotação de tronco

Flexione levemente os joelhos. Gire o tronco para a direita e para a esquerda numa velocidade moderada. Faça isso 20 vezes (dez para cada lado).

  1. Relaxamento de pescoço

Faça a rotação de pescoço. Leve a cabeça para a direita e para a esquerda, dez vezes de cada lado.

Depois, mova o queixo em direção ao peito, como quem faz “sim” com a cabeça. Retorne à posição neutra e repita o procedimento dez vezes.

Por fim, leve a cabeça para trás o máximo que puder e retorne à posição original. Repita dez vezes.

Gostou das dicas? Esperamos que os exercícios laborais ajudem você a tornar a rotina de estudos mais agradável. Não se esqueça de nos contar como foi a experiência!