Home Blog

Alivie a pressão psicológica da preparação para concurso

0
Alivie a pressão psicológica da preparação para concurso
Alivie a pressão psicológica da preparação para concurso

Nem Língua Portuguesa, nem Legislação: às vezes a pressão psicológica é o maior obstáculo na preparação para um concurso público. Há a cobrança da família, a ansiedade pelo lançamento do edital e até a sensação de que não vai dar tempo de estudar tudo antes do dia da prova. E aí, o que fazer?

Organização nos estudos ajuda a aliviar a pressão psicológica

Em primeiro lugar, tenha em mente que os estudos são um processo. Ninguém aprende o conteúdo inteiro de uma vez.

Você terá que organizar sua agenda para estudar um pouquinho a cada dia. O número de horas não importa. O que interessa é ler a apostila com calma, realizar os exercícios e revisar quantas vezes for necessário para fixar a matéria na cabeça.

Estabeleça pequenas metas diárias, como “resolver 10 exercícios” ou “ler 10 páginas da apostila”. Aos poucos, você notará o progresso e ganhará mais autoconfiança.

Controle as expectativas: passar de primeira é exceção à regra

Outro ponto importante diz respeito às expectativas pela aprovação. Jamais deposite todas as suas fichas num único certame. A pressão psicológica para passar ficará maior, o que pode atrapalhar seu desempenho.

Além disso, mesmo que você tenha estudado bastante, o ambiente com fiscais de prova e outros candidatos ao redor sempre intimida. Portanto, vale a pena participar de vários concursos para ganhar experiência. Assim, seu nível de conforto no “dia D” tende a aumentar.

Ah, e nada de desanimar por causa das reprovações, ok? Cada tropeço da caminhada vira um ensinamento para acertar na próxima tentativa.

Apoio dos amigos e da família é essencial

Quem estuda para concurso até consegue ter vida social, mas acaba abdicando de momentos com a família e os amigos. Pois são justamente eles que dão apoio nas horas difíceis.

Quando o cansaço bater à porta, chame alguém de seu agrado. Explique por que você sumiu das festas e das redes sociais, já que seu foco está em outra área.

Depois, conversem sobre qualquer assunto que ajude a distrair a mente. Esse contato com gente querida será ótimo para sua saúde mental.

E fuja das pessoas negativas. Cobranças para passar logo na prova ou comparações com candidatos que já conquistaram uma vaga pública são desnecessárias. Lembre-se: cada indivíduo faz a própria história.

Pressão psicológica e ansiedade: busque auxílio profissional

É natural sentir ansiedade, principalmente se aquele edital tão aguardado demora a sair. Os boatos alardeando que o governo vai cancelar concursos tampouco tranquilizam estudantes.

Para afastar as aflições, busque alternativas que acalmem os ânimos. Pode ser atividade física, um hobby artístico ou mesmo meditação.

Agora, se essas “válvulas de escape” não forem suficientes, procure orientação psicológica. A terapia é um caminho legítimo para quem apresenta sinais de esgotamento intelectual e estresse. Inclusive, o apoio profissional evita que esses sintomas evoluam para quadros mais graves de pânico, depressão e Burnout.

Gostou do artigo? Esperamos que as dicas de hoje sejam úteis para diminuir a pressão na sua rotina de estudos. Aproveite para clicar nos links e se aprofundar nos temas de seu interesse!

Precisando de mais informações sobre concurso público, assine nossa newsletter. É grátis.

Estudando no verão: dicas para o calor não atrapalhar

0
Estudando no verão: dicas para o calor não atrapalhar
Estudando no verão: dicas para o calor não atrapalhar

Se você sente dificuldade para se concentrar nos dias muito quentes, preste atenção ao artigo de hoje. O calor mal começou e é bom ir se adaptando para estudar no verão. Isso porque as temperaturas extremas podem, sim, comprometer o desempenho cognitivo. Continue conosco para entender melhor esse fenômeno e conhecer maneiras de esfriar a cabeça.

Por que estudar no calor é mais difícil

Pesquisadores dos Estados Unidos analisaram o desempenho de 10 milhões de estudantes ao longo de 13 anos. Ao fim do estudo, eles notaram uma forte correlação entre o clima e os resultados acadêmicos. Os dados indicavam que, nas regiões mais quentes, as médias escolares dos alunos eram mais baixas.

Mas todo cientista sabe que correlação não é causa. Outros fatores sociais, como baixa renda e falta de acesso a escolas de qualidade, poderiam explicar os índices. Portanto, devemos nos aprofundar na explicação.

Aí entra uma segunda pesquisa, da Universidade de Harvard. O experimento dividiu jovens universitários em dois grupos: o primeiro teve acesso a ar-condicionado, enquanto o segundo permaneceu alojado em imóveis sem esse recurso. Após 12 dias de observação, ficou evidente que o calorão alterava capacidades cognitivas dos indivíduos, como tempo de reação e memória.

É que o corpo humano se esforça para manter a temperatura interna em cerca de 37°C. Acima disso, pode haver um quadro de hipertermia, caracterizado pela desidratação rápida do organismo. Os sintomas incluem dor de cabeça, tontura, visão turva, confusão mental e agitação – pacote perfeito para perder o foco nos estudos.

O cérebro tende a ser um dos órgãos mais afetados nos dias de verão. Porém, não se trata de mero mal-estar. A exposição prolongada a um ambiente quente e abafado pode acarretar complicações graves, como insuficiência renal e até falência cardíaca. Ou seja: pensando no bem de sua mente e de seu corpo, é necessário providenciar meios para garantir o conforto térmico.

Dicas para estudar no verão sem passar calor

Segundo os cientistas, a temperatura ambiente ideal para potencializar os estudos gira em torno dos 22°C. Só que nem todo mundo tem ar-condicionado em casa, e mesmo quem tem prefere desligar o aparelho para não torrar o salário na conta de energia elétrica. A saída, assim, é encontrar soluções refrescantes e mais baratas. Veja só:

  1. Organize seus horários de leituras e exercícios para o início da manhã ou a noite. Nesses períodos, o clima geralmente está mais ameno.
  2. Abra as janelas e deixe o ar circular! Onde há brisa, as chances de abafamento ficam menores.
  3. A circulação de ar do seu quarto não dá conta de arrefecer o calorão? Experimente ir a uma biblioteca. Além de climatizada, ela será bastante silenciosa.
  4. Beba muita água ao longo do dia. O líquido regula as funções corporais e mantém o cérebro atento, sem aquela moleza causada pela desidratação.
  5. Vista roupas leves e confortáveis. Dê preferência a tecidos naturais, como o algodão, que favorecem a transpiração do corpo.
  6. Tome banho frio. Esse método não só reduz a temperatura corporal, como também estimula a circulação sanguínea e a produção de noradrenalina. Você ficará mais alerta.
  7. Evite alimentos gordurosos. Eles demandam muita energia para o processo de digestão, o que acaba interferindo no rendimento intelectual.

Viu? Com alguns ajustes na rotina, dá para encarar sem medo este verão de estudos. Se você gostou do conteúdo de hoje, assine nossa newsletter para receber mais dicas de preparação para concurso público. É grátis!

Concurso público em 25 dicas: Tudo que você precisa saber para se preparar

0

A carreira pública pode ser um caminho muito promissor. Porém, passar num concurso requer dedicação. São meses de planejamento, estudo e muita energia empregada nesse desafio. Você sabe o que fazer para conquistar a tão almejada aprovação?

Como estudar para concurso público: 25 dicas

Faz alguns anos que nós trazemos dicas, aqui no blog, para quem resolveu entrar na lida concurseira. Hoje compilamos essas informações nas 25 dicas abaixo. Acompanhe o post e, se quiser, acesse os links para se aprofundar nos pontos de seu interesse. Nós garantimos que você vai aprender algo novo!

  1. Antes de encarar o desafio de estudar para concurso, certifique-se de que você tem aptidão para o cargo público. Salário alto e estabilidade na carreira não são os únicos atrativos de um trabalho. Também se deve gostar da atividade.

  2. Procure encontrar o concurso certo para o seu perfil. A escolha depende do tempo disponível para estudar e de suas aspirações futuras. Talvez uma vaga no âmbito municipal seja um bom começo, antes de partir para opções mais concorridas.

  3. Crie um ambiente de estudos adequado, pois você vai passar muitas horas ali. O lugar deve ser silencioso, confortável e bem-iluminado. De preferência, corte distrações: deixe o celular no modo avião e reduza seu tempo nas redes sociais.

  4. A preparação para o certame deve fazer parte de sua rotina. Se os seus horários ainda estão confusos, chegou o momento de organizar a agenda. Reserve uma parte do dia, todos os dias, para se dedicar exclusivamente a essa tarefa.

  5. Não se preocupe tanto com a quantidade de horas em frente às apostilas. O mais importante é a qualidade do processo. No fim das contas, o que vale é desenvolver habilidades e adquirir conhecimento sobre o conteúdo pesquisado.

  6. Não basta assistir às aulas e ler os textos de referência. Resolver exercícios também contribui para o seu aprendizado. Procure responder questões de provas anteriores para fixar melhor a matéria na cabeça. E não se esqueça das técnicas de revisão!

  7. Alimentos gordurosos consomem muita energia do corpo durante a digestão. Assim, você perde o ânimo e não consegue dar o seu melhor nos estudos. A dieta concurseira se baseia num cardápio leve, com frutas, cereais, peixe e bastante água.

  8. Atividade física é igualmente importante. Ela facilita a oxigenação do cérebro e até estimula a criatividade! Meia hora diária de caminhada é suficiente para você atingir resultados satisfatórios. Ainda, vale a pena investir na ginástica laboral para evitar dores nas costas e nas articulações.

  9. Completando a lista de cuidados com o corpo, lembre-se de dormir bem. O sono reparador vai recarregar suas baterias, garantindo que o dia seguinte seja produtivo. Além disso, ele contribui para a manutenção da memória e a consolidação do aprendizado.

  10. Vá com calma no café. O estimulante natural, quando consumido em excesso, pode causar inquietação, complicações cardíacas e insônia. Sem contar que existem horários específicos para a bebida fazer efeito. Ou seja: quando bater o cansaço, simplesmente descanse.

  11. Às vezes você pode sentir que a preparação para concurso público não está rendendo como deveria. Nesse caso, experimente alguma técnica para potencializar os estudos. Ler em voz alta ou alternar entre atividades diferentes são maneiras de estimular o cérebro.

  12. Algumas disciplinas são mais difíceis que outras – e está tudo bem! Tenha paciência para compreender o conteúdo. É provável que você precise dedicar um tempo extra aos tópicos espinhosos, então sua sensação de progresso pode ficar comprometida.

  13. Deixar a matéria complicada para depois só vai adiar o inevitável. Portanto, nada de procrastinação! Enfrente o desafio de uma vez. Quanto antes você começar a estudar as disciplinas “duras”, mais tempo terá para dominar aqueles assuntos.

  14. Falando em tempo, existe uma estratégia para aproveitá-lo ao máximo: estudar antes do lançamento do edital. Como alguns temas são recorrentes em todos os concursos públicos, vale a pena ler sobre eles, ainda que não exista uma chamada oficial para o certame.

  15. De qualquer modo, o edital é o documento que guiará todas as suas decisões posteriores. Ele traz as regras do processo seletivo, as datas importantes, as atribuições da vaga a ser preenchida e, claro, o conteúdo programático da prova.

  16. Questões de Língua Portuguesa sempre caem em concurso e, muitas vezes, têm peso decisivo na pontuação final. Sendo assim, se você realmente busca a aprovação para trilhar uma carreira pública, tem que conhecer a gramática normativa nos mínimos detalhes.

  17. Noções de legislação são outro ponto cobrado. Aqui, vale a pena recorrer ao dicionário para decifrar os termos técnicos. Outra dica é entender o contexto histórico e social no qual a lei foi redigida. Coragem, que você consegue!

  18. Organizar-se na véspera da prova diminui as chances de imprevistos. Separe canetas, documento de identificação e todo o material necessário. Planeje a rota para chegar ao local de aplicação sem atrasos. E, por favor, tente repousar direitinho.

  19. A ansiedade para o “Dia D” é supernormal. Você só não pode se deixar dominar pelos sentimentos ruins. Invista em mecanismos de relaxamento, como meditação, atividade física ou mesmo uma longa conversa com os amigos. Desabafar as angústias dá um alívio…

  20. O concurso público é um teste de conhecimento, mas também uma luta contra o relógio. Reserve pelo menos meia hora para preencher a folha óptica do gabarito e conferir se o cartão de respostas está assinado.

  21. Há truques para elevar a probabilidade de acertos em provas de múltipla escolha. Identificar generalizações ou respostas antagônicas serve para eliminar algumas alternativas. Dica: conheça a banca organizadora com antecedência e faça simulados para se acostumar com o estilo de avaliação.

  22. Raras são as pessoas que passam de primeira num concurso. A concorrência é grande e tem muita gente veterana no páreo. Por isso, não desanime. Cada certame funciona como uma oportunidade para você ganhar mais experiência e trabalhar a autoconfiança.

  23. Aliás, quer conhecer os segredos de quem foi aprovado em primeiro lugar? Estudar todos os dias, revisar o conteúdo regularmente e participar de vários processos seletivos estão entre as táticas desse pessoal. Nada muito diferente do que sugerimos até agora. 😉

  24. A pressão para passar num concurso público pode ser grande. Cuidado para não prejudicar sua saúde mental! Sinais de estresse, estafa e até mesmo depressão devem ser tratados para não se tornarem um obstáculo. Se necessário, procure ajuda profissional.

  25. Tenha em mente que, sim, é possível estudar e ter vida social ao mesmo tempo. Mas há limites. Troque a balada por um programa light, como um almoço com a turma, para resguardar as forças. E, quando o dia a dia estiver corrido demais, mande mensagens de texto às pessoas queridas. Assim vocês não perdem completamente o contato.

Então, gostou das dicas? Esperamos que o artigo de hoje tenha sido útil. Fique à vontade para assinar nossa newsletter e receber por e-mail novidades sobre preparação para concurso público. Até a próxima!

Água: o melhor combustível para os estudos

0
Alivie a pressão psicológica da preparação para concurso
Alivie a pressão psicológica da preparação para concurso

Nem café, nem Ritalina: o verdadeiro combustível para os estudos é a água. Isso mesmo! Esse líquido precioso pode fazer maravilhas pela sua concentração. Fique conosco para saber quantos copos você deve tomar por dia (e confira uns truques para incorporar esse hábito à rotina).

Por que beber água é bom para os estudos

Nosso corpo é 90% formado por água. Logo, a hidratação adequada faz o organismo funcionar corretamente. Ela oxigena os órgãos, limpa toxinas e fornece sensação de bem-estar.

Entre as muitas funções que desempenha, o líquido ajuda a conduzir os impulsos eletroquímicos do cérebro. Isso significa que quem bebe água pode aprender com mais rapidez. Afinal, há um ambiente favorável às sinapses e à consolidação do conhecimento.

Diversos estudos corroboram essa informação. Por exemplo, uma pesquisa conduzida por cientistas da Universidade Northeastern, nos Estados Unidos, avaliou o desempenho de crianças entre 9 e 11 anos. Os testes envolviam tempo de reação, memória e capacidade de realizar tarefas simultaneamente. Resultado: quem ingeriu doses adequadas de água se deu melhor, em comparação a quem bebeu menos.

Outra investigação, da Universidade do Leste de Londres, apontou algo parecido. Pessoas adultas que tomaram 500 ml de água antes de tarefas intelectuais tinham reações, em média, 14% mais rápidas.

Uma hipótese é que a sede tira a atenção do indivíduo, atrapalhando seu rendimento. Outra possível explicação seriam, justamente, as consequências da desidratação.

A água contribui para a circulação sanguínea, levando oxigênio e nutrientes até o cérebro. É esse movimento que garante energia para as longas horas de estudos. Portanto, sem líquido, a simples leitura de uma apostila pode se transformar num esforço penoso. Você se cansa mais rápido e, com a tensão acumulada, ainda pode desenvolver crises frequentes de enxaqueca. Contraproducente, né?

Como incorporar o hábito de beber água aos estudos

Mas e quanto ao tais oito copos d’água por dia, que seriam obrigatórios para todo mundo? Na verdade, a quantidade necessária varia de acordo com diversos fatores. Se você praticou atividade física, se o dia está quente ou se sua dieta contém muito sal, a demanda pelo líquido pode aumentar.

Na dúvida, observe a cor de sua urina. Sério! Quando o xixi está escuro, é sinal de que falta hidratação no organismo. A coloração recomendada é o amarelo-claro.

“Ah, mas eu me concentro demais nos estudos e acabo me esquecendo de tomar água”, alguém vai dizer. Nesse caso, vale apelar para uns macetes.

Primeiro, sempre tenha uma garrafa de água por perto. Nada de refrigerante, suco ou bebidas açucaradas, já que elas não são tão eficientes para repor líquido.

Sendo necessário, programe alarmes no celular de meia em meia hora. Assim, você se lembra que é hora de beber mais uns goles – e aproveita para descansar por uns minutinhos, como recomenda a Técnica Pomodoro.

Também existem aplicativos para smartphone que auxiliam na tarefa. Além de disparar lembretes, eles calculam a meta diária de ingestão de água com base no seu peso corporal.

Curtiu? Esperamos que o conteúdo de hoje tenha sido útil. Se quiser mais dicas de preparação para concurso público, cadastre-se em nossa newsletter. É grátis!

Planejamento financeiro para concurseiros

0

Você já reparou que estudar para concurso público também envolve planejamento financeiro? Afinal, há uma série de despesas relacionadas – com cursos preparatórios e material didático, entre outras. Hoje vamos dar dicas de como você pode organizar os gastos e juntar o dinheiro necessário para investir em seu futuro. Acompanhe!

Planejando as finanças para fazer um concurso

Antes de tudo, você deve saber quanto a empreitada vai custar. Entram no cálculo o preço das apostilas, dos cadernos e até das canetas, além das mensalidades do cursinho.

Ainda, lembre-se de que existe a taxa de inscrição no concurso público. Consulte os editais de provas anteriores para ter uma ideia de quanto você vai desembolsar. Dica: arredonde para cima, pois o valor pode ter reajuste nos novos certames.

Pronto. Agora que somamos tudo, chegamos ao orçamento, isto é, à meta financeira a ser atingida. Se você não tem cacife para arcar com esse investimento à vista, então o jeito é criar um fundo de reserva para as despesas relativas ao concurso.

Nessas horas, a planilha de gastos se torna uma importante aliada. Funciona assim:

– Anote todas as suas despesas do mês (boletos, compras no supermercado etc.);

– Verifique se você pode cortar custos (por exemplo, poupando energia elétrica ou trocando o pacote de internet por um plano mais barato);

– Junte o que sobrar na poupança ou num fundo de renda fixa.

Claro que, quando a grana está curta, sempre há o risco de não sobrar muita coisa no fim do mês. Por isso, faça de conta que a reserva do concurso é uma despesa obrigatória, como a conta de água. Estipule um valor fixo e repasse-o à poupança assim que você receber o seu salário.

Talvez leve um tempo até você acumular o montante necessário para cobrir o investimento nos estudos. De todo modo, esperar uns meses ainda é melhor que contrair dívidas!

Planejamento financeiro de longo prazo: custo/benefício

Alguns concurseiros optam por sair do emprego e dedicar-se exclusivamente aos estudos. Se você tem uma rede de apoio, com casa para morar e família que pague as contas, pode ser uma saída confortável. Mesmo assim, sempre é bom ter uma quantia guardada para o impacto financeiro não ser tão forte.

Procure reservar o equivalente a seis meses do seu salário antes de pedir o aviso prévio. Desse modo, dá para segurar as pontas por um período, sem mudanças bruscas no seu estilo de vida.

Contudo, tenha em mente que a aprovação num concurso público pode demorar alguns anos. Por mais que você se esforce, a tendência é não passar de primeira, já que existem outros candidatos mais experientes no páreo.

Diante desse cenário, avalie bem o custo/benefício de largar a profissão para ser estudante em tempo integral. A crise econômica está aí, e a realidade de muita gente é ter que se dividir entre a firma e as apostilas.

Gostou das dicas? Então aqui vai uma última sugestão: escolha um curso preparatório de qualidade. Pesquise os nomes mais fortes do mercado e converse com alunos que já passaram por lá. Essa é a garantia de que seu investimento financeiro valerá a pena. Do contrário, pagar por aulas ruins é o mesmo que jogar dinheiro fora.

O Andresan tem uma equipe de professores altamente qualificada. Conheça nossos cursos e fique mais perto da aprovação! Aproveite, ainda, para assinar nossa newsletter. Assim você recebe mais informações sobre preparação para concurso público. Até a próxima!

Como estudar Atualidades para o concurso público?

0
Como estudar Atualidades para o concurso público?
Como estudar Atualidades para o concurso público?

Alguns concursos públicos preveem prova de Atualidades no edital. Essa parte do certame acaba suscitando dúvidas, já que não existe um conteúdo programático definido. Ou seja, muita gente não sabe de onde partir para estudar adequadamente.

O que fazer, então? Fique conosco, que temos algumas dicas.

O que cai na prova de Atualidades do concurso público?

Todo início de ano é a mesma história: os sites especializados em concurso listam uma série de temas atuais que podem cair na prova. São pautas de interesse público ou que estão na mídia, como política internacional, crise econômica, meio ambiente e por aí vai.

Trata-se de uma aposta. No fim das contas, só mesmo a banca organizadora sabe quais serão as questões trabalhadas. Ainda assim, a característica factual das notícias acaba direcionando o olhar justamente para as questões que estão sendo discutidas naquele momento.

Pergunte-se: quais são os assuntos que repercutem em todas as esferas da sociedade? Quais temáticas, antes pouco discutidas, agora estão nas rodas de debate e nos noticiários? Esse pode ser um bom ponto de partida para prever o que será cobrado na prova de Atualidades.

Como se preparar para a prova de Atualidades

Mas, diante da incerteza, será que a preparação continua possível? Claro que sim. Abaixo, reunimos algumas dicas que vão ajudar você. Aproveite!

  1. Acompanhe as notícias

Em se tratando de Atualidades, o noticiário (nacional e internacional) será o seu melhor amigo. Portanto, acompanhe as notícias regularmente. Vale até reservar um tempo diário na sua agenda de estudos para dedicar-se a essa tarefa.

  1. Varie as fontes

É importante informar-se a partir de mais de um veículo de imprensa. Assim, você confere diversos pontos de vista, já que cada empresa segue uma linha editorial diferente. Aliás, variando as fontes, dá para perceber quais são os temas mais relevantes – aqueles que estão em todo lugar.

  1. Passe por todas as editorias

Talvez você não se interesse tanto pelos conflitos no Oriente Médio ou pelas políticas de segurança pública no Norte do Brasil. Porém, se esses assuntos recebem atenção da mídia, é sinal de que podem cair na prova de Atualidades. Ou seja: deixe suas preferências pessoais um pouco de lado. Leia sobre o que o mundo considera importante.

  1. Fuja das fake News

Boatos circulam rapidamente pela rede (alguns deles, inclusive, espalham mentiras sobre concursos públicos). Nesse cenário, desconfie do conteúdo que você encontra nas mídias sociais. Prefira atualizar-se a partir de fontes confiáveis: telejornais, revistas semanais de grande circulação e portais de notícias reconhecidos. Na dúvida, você também pode recorrer a serviços de checagem de histórias, como o Aos Fatos e o E-Farsas.

  1. Preste atenção aos colunistas

Os jornais e portais de notícias têm espaços dedicados a textos opinativos. Nessas áreas, os colunistas acabam trazendo sua perspectiva pessoal sobre pautas atuais. Fica a dica: se algo está no radar desses formadores de opinião, pode estar na mira dos organizadores do certame.

  1. Escreva sobre o que você leu

Uma ótima maneira de testar seu conhecimento sobre atualidades é escrevendo. Selecione uma reportagem como texto de referência e tente argumentar em cima daquele acontecimento. Essa é, ainda, uma estratégia bastante usada por quem enfrentará prova de redação.

Gostou das dicas? Esperamos que o artigo de hoje tenha sido útil. Se você quer mais informações sobre preparação para concurso público, aproveite para inscrever-se em nossa newsletter! Traremos novidades em breve. Até lá e bons estudos!

Tenho mais de 50 anos. Devo tentar concurso público?

0

Não existe idade limite para ingressar na carreira pública. Porém, a aposentadoria compulsória aos 75 anos acaba sendo determinante para quem tenta concurso depois dos 50. Hoje vamos conversar sobre os prós e contras de estudar para um certame a essa altura da vida. Fique conosco!

Por que investir num concurso depois dos 50 anos

Bem sabemos que o mercado de trabalho pode ser cruel com profissionais experientes. Num cenários de crise econômica, as empresas tendem a demitir os funcionários mais antigos, pois eles “custam demais”. Então, quando percebe, o trabalhador se vê disputando um novo emprego com jovens recém-saídos da faculdade.

Diante dessa situação, o concurso público abre um caminho mais seguro para quem já suou a camisa por tantos anos. A estabilidade e a remuneração acima da média – se comparada aos salários da iniciativa privada – são ótimos atrativos para quem sustenta uma casa e, provavelmente, ainda tem filhos para criar.

Claro que se tornar servidor exige esforço. Acima de tudo, a pessoa precisa ter aptidão para o cargo: entender de legislação, lidar bem com rotinas e não ter medo de burocracia.

Em seguida, deve-se estabelecer um cronograma de estudos. Retornar às apostilas depois de tanto tempo longe da escola costuma ser um desafio, mas garantimos que é possível. Aliás, quem já passou dos 50 também tem vantagens, como maturidade suficiente para organizar os próprios horários, determinar prioridades de vida e agir em busca dos objetivos pessoais.

Aposentadoria compulsória: vale a pena tentar cargo público?

Agora vamos a uma questão prática: os rendimentos da aposentadoria. Digamos que você já tenha passado dos 50 e resolva preparar-se para um concurso. Levará uns meses até o lançamento do edital, o que por si só desperta a ansiedade em muitos candidatos. E, mesmo que a prova ocorra logo, o intervalo entre a aprovação no certame e a nomeação para o cargo pode demorar até quatro anos.

Além disso, convenhamos que nem todo mundo passa de primeira. Você provavelmente terá que se submeter a mais alguns processos até conseguir uma vaga no serviço público. Embora não exista uma média, estima-se cerca de três anos de tentativas para alguém conquistar um posto de nível superior.

Resumindo, a opção pelo concurso não é uma solução imediata. Só que, quando se está planejando o futuro, cada segundo conta.

Quanto mais tarde ingressar na esfera pública, menos tempo de contribuição à Previdência você terá até os 75 anos, idade na qual os servidores são compulsoriamente aposentados. Ainda que exista a possibilidade de averbação dos valores pagos ao INSS anteriormente, o benefício final pode ficar num patamar inferior ao desejado.

Também devemos mencionar os adicionais por tempo de serviço e o próprio plano de carreira, que prevê aumentos progressivos de salário. Quem chega depois avança menos degraus. Assim, o cálculo da aposentadoria é realizado com base numa quantia mais baixa.

Portanto, faça as contas. Verifique se o acréscimo nas finanças compensa o esforço de se dedicar a um concurso público após os 50 anos de idade.

Se a resposta for positiva, continue acompanhando nosso blog. Sempre trazemos dicas para deixar você mais perto da aprovação. Bons estudos e até a próxima!

Concurso público: Melhore o rendimento na prova com estas 5 dicas

0
Concurso público: Melhore o rendimento na prova com estas 5 dicas
Concurso público: Melhore o rendimento na prova com estas 5 dicas

Prova de concurso público é aquela pressão: em poucas horas, você testa o conhecimento adquirido durante meses (ou anos) de estudos. Por isso, muita gente trava diante das questões e não consegue atingir o desempenho esperado.

Está nesse grupo? Então você precisa acompanhar as dicas de hoje.

Como melhorar o rendimento na prova do concurso público

Volta e meia, aqui no blog, retomamos a pauta da inteligência emocional. Isso porque serenidade e foco são habilidades fundamentais de quem tenta a carreira pública. Mais que uma prova de noções teóricas, o concurso também avalia a capacidade de a pessoa permanecer atenta, apesar da ansiedade.

Mas é claro que, além da autoconfiança, alguns macetes contribuem para melhorar o rendimento no certame. É dessas dicas práticas que vamos falar a seguir. Confira:

  1. Preste muita atenção a cada questão

Às vezes o enunciado da questão seguinte pode responder à pergunta anterior. Portanto, não se preocupe em ler rapidamente para ganhar tempo. Em vez disso, observe cada detalhe. Caso preferir, sublinhe os pontos importantes do texto para recuperar o fio da meada mais tarde. Esse cuidado vai elevar bastante suas chances de acerto.

  1. Nunca estacione numa pergunta

Quando a pergunta estiver muito difícil, ou se você não souber a resposta logo de cara, pule para a próxima. É preferível garantir, primeiro, os acertos das questões que você realmente domina. Enquanto isso, sua mente vai continuar trabalhando e absorvendo novas informações.

Em seguida, retorne aos pontos em aberto e encare-os com calma. Vai que um enunciado no fim do caderno tenha ajudado você a resolver uma questão lá do comecinho, né?

  1. Não desconfie das questões

Sim, alguns concursos públicos têm pegadinhas, mas essa não é uma regra. Se você pensar demais sobre cada questão (o que os anglofalantes chamam de overthinking), vai encontrar pelo em ovo e ficar com mais dúvidas que certezas.

É por esse motivo que sugerimos a resolução de provas anteriores como método de preparação. Elas servem para acostumar você ao estilo da banca avaliadora.

  1. Aproveite o momento

Em vez de pensar no certame como um obstáculo a ser vencido, perceba-o como um caminho a ser trilhado. Isso significa curtir o momento, sem pressa de entregar logo a prova e ser o primeiro a sair da sala.

Ou seja: leia e releia as questões. Responda a tudo com o máximo de convicção que conseguir. Por fim, preencha a folha óptica com cuidado. Lembre-se de que, administrando o tempo com sabedoria, você poderá fazer tudo isso sem se afobar.

  1. Respire

Técnicas de meditação e mindfulness auxiliam os candidatos mais dispersos a se concentrar. Nas horas de aflição, basta fechar os olhos, inspirar profundamente e soltar o ar aos poucos. Experimente fazer isso antes da aplicação, ou mesmo durante a prova, por um minutinho ou dois. É como dar um reset na cabeça.

Gostou das dicas? Esperamos que o conteúdo de hoje permita a você melhorar seu rendimento no próximo concurso. Aproveite para assinar nossa newsletter e ficar por dentro das novidades! Em breve, traremos mais informações para colaborar na sua preparação. Bons estudos e até breve!

Etiqueta concurseira: como se comportar durante a prova

0

O dia da prova talvez seja o período de maior adrenalina no concurso público. Com ânimos alterados e muita ansiedade pairando no ambiente, qualquer gesto inadequado que você fizer pode despertar incômodo nos demais candidatos. Portanto, vale a pena observar algumas regras de etiqueta na sala de aplicação do certame.

Regras de etiqueta para concurso público

Conversas paralelas são o primeiro ponto. Tem quem goste de puxar papo com os colegas antes do início da prova – seja para passar o tempo, seja para aliviar o nervosismo. Porém, outras pessoas preferem se concentrar em silêncio. Na dúvida, melhor ficar de boca fechada.

Esse cuidado se estende para o momento da saída. Ao terminar a prova, deixe para conversar com alguém apenas quando você estiver longe do local de aplicação. Isso porque o zunzunzum nos corredores pode atrapalhar quem ainda estiver resolvendo as questões.

Os lanches são outro elemento que você deve considerar, também por causa dos ruídos. Muitos editais permitem aos candidatos levar comida para dentro da sala, geralmente em pacotes fechados. Mas você já tentou abrir um salgadinho enquanto todo mundo ao seu redor está quieto? É um barulhão danado!

Claro que alimentar-se é importante, principalmente nos processos seletivos mais longos. Ainda assim, procure alternativas silenciosas para matar a fome. Troque a latinha de refrigerante pela garrafa plástica de água. Já os alimentos podem ser levados fora da embalagem, num pote transparente, facilitando o manuseio.

Discrição é tudo, em se tratando de concurso público. Quanto menos atenção você chamar, menos distrações haverá.

Por exemplo, caso surja uma dúvida em relação ao preenchimento da folha de respostas, nada de falar em voz alta ou de levantar-se do lugar! Erga a mão, que o aplicador ou o chefe de sala irão ao seu encontro para conversar baixinho.

O mesmo vale para quando você tiver que ir ao banheiro. Aguarde sua vez e, podendo sair, faça isso com bastante calma, sem bater porta. (Aliás, é bem provável que haja a companhia de um fiscal durante o trajeto. Não se assuste!)

As roupas são o último item na nossa lista da etiqueta concurseira. Não que exista uma indumentária específica para o certame, mas é que certas peças são particularmente ruidosas. Jaquetas cheias de zíperes de metal, sapatos de salto que ecoam a cada pisada, brincos e pulseiras… Se fazem barulho, guarde-os para uma ocasião mais festiva. Quem sabe a comemoração pela nomeação no cargo público?

Preparação na véspera da prova ajuda a relaxar

Nós reconhecemos que manter um comportamento natural pode ser difícil numa situação de pressão como o concurso. Portanto, a preparação para essa etapa tão crucial de sua vida precisa acontecer aos poucos.

Cultive bons hábitos às vésperas da prova: monte um kit com o material necessário, separe uma roupa confortável e faça refeições leves. Também vale planejar o deslocamento para evitar atrasos, como já explicamos aqui no blog. Vai que haja um congestionamento na rua, né?

Acima de tudo, tente relaxar. O mais difícil você já fez: encarou as apostilas e aprendeu o conteúdo. Agora só resta ter calma para mostrar à banca o quanto você sabe.

Esperamos que nossas dicas de etiqueta para concurso público tenham sido úteis. Se você gostou do conteúdo de hoje, assine nossa newsletter! Sempre trazemos novidades a quem está se preparando para as provas. Bons estudos e até a próxima!

5 erros que atrapalham a produtividade nos estudos

0

A internet está cheia de dicas para você melhorar o rendimento nos estudos. O problema é que não existe receita única para a produtividade. Inclusive, alguns hábitos aparentemente benéficos são verdadeiras armadilhas, podendo causar efeito contrário ao esperado.

As 5 armadilhas da produtividade nos estudos

Pensando no seu bem-estar, listamos cinco erros que a maioria dos candidatos comete na preparação para concurso público. Acompanhe o post de hoje e aprenda a organizar uma rotina de estudos mais saudável!

  1. Acordar cedo

O velho ditado de que “Deus ajuda quem cedo madruga” fazia sentido na sociedade rural. Era preciso acordar de madrugada para aproveitar ao máximo a luz do sol durante a lida no campo.

Já na realidade urbana, horários de trabalho são mais flexíveis. Por isso, respeite o seu organismo. Tem gente que acorda cedo e fica bem. Tem gente que luta contra o sono nas primeiras horas da manhã e sempre perde a batalha. Portanto, faça o que for mais confortável para você.

  1. Usar estimulantes

Há concurseiros que recorrem a métodos duvidosos para se manter despertos. O uso da Ritalina, por exemplo, já foi abordado aqui no blog. A compra sem prescrição médica é ilegal, e o abuso da substância pode afetar a memória. Ou seja: o desempenho intelectual fica prejudicado.

Até mesmo o café deve ser consumido com cautela. Em excesso, a bebida causa inquietação e insônia. Péssima notícia a quem depende de uma boa noite de sono para reter o conhecimento.

  1. Fazer lista de tarefas

Organização melhora a produtividade nos estudos, não temos dúvidas disso. Porém, usando uma lista de afazeres, existe o risco de se gastar tempo demais com atividades menos importantes.

Você organiza os materiais de aula, troca mensagens com colegas, enfim, cumpre as tarefas mais fáceis. E risca várias pendências da lista, claro. Então, quando chega a hora de ler sobre Direito Constitucional, sua energia está muito baixa. Foi um dia produtivo, mas que não trouxe resultados à sua preparação para concurso, entende?

  1. Estudar primeiro as matérias fáceis

Começar a sessão de leituras pelas disciplinas fáceis é outra forma de se iludir. Obviamente, você vai avançar rapidinho no conteúdo da apostila – e terá um falso senso de progresso. Enquanto isso, as matérias cabeludas continuarão à espera de uma chance.

Fica a dica: use as primeiras horas de estudo para o conteúdo mais difícil. É melhor se concentrar nele quando ainda estamos com todo o gás.

(Vale lembrar que, no dia da prova, a estratégia muda. Responda primeiro as questões mais fáceis para elevar suas chances de acerto.)

  1. Trabalhar sem descanso

Os especialistas afirmam que o cérebro humano se concentra numa única atividade, em média, por 90 minutos. Depois desse limite, o rendimento cai. É o momento de dar uma pausa, tomar água ou fazer exercícios laborais.

Frente a isso, algumas metodologias de produtividade, como a técnica Pomodoro, preveem períodos de estudo focado intercalados por pequenos descansos. Pode funcionar para você.

No entanto, tente não levar essa abordagem ao pé da letra. Quando se entra no “fluxo” – estado de consciência em que o trabalho flui sem você sentir o tempo passar –, não vale a pena forçar uma interrupção.

Gostou das dicas? Esperamos que, ao eliminar esses erros de produtividade, sua preparação para concurso público fique ainda melhor! Se o artigo de hoje foi útil para você, aproveite para se inscrever em nossa newsletter. Voltaremos em breve com novidades. Até mais!